FNI partilha experiência com a congénere angolana

40

O Fundo Nacional de Investigação (FNI) recebeu, por quatro dias, uma delegação da FUNDECIT, sua congénere angolana, para uma visita de troca de experiência e prospecção de parcerias.

Esta instituição angolana, que é relativamente nova, veio assimilar a experiência do trabalho efectuado pelo FNI na área da ciência, tecnologia e inovação.

Durante a visita efectuada, a delegação angolana dirigida pela Irene Moisés teve encontro com a Directora Geral do FNI, Vitória Langa de Jesus, onde se familiarizou com o funcionamento da instituição bem como das chamadas de propostas e projectos que são financiados pelo FNI.

De seguida mantiveram encontros, na sala de reuniões do FNI, com os chefes de gabinetes para colher informações de cada área, bem como perceber o seu funcionamento.

É de salientar que tiveram encontros com cada unidade orgânica, para em suma colher e acolher a prática daquilo que é o trabalho de cada unidade orgânica desta instituição pública moçambicana vocacionada ao financiamento da ciência, tecnologia e inovação.

Jonas Mondlane, chefe dos serviços de Planificação, Estudos e Cooperação do FNI, no seu rescaldo disse que a visita foi positiva uma vez que os objectivos foram cumpridos, um dos quais foi partilhar experiência acumulada do FNI no processo de financiamento a pesquisa científica no país.

Neste contexto, durante a visita foram destacadas as oportunidades de financiamento de que o FNI dispõe, as políticas e mecanismos de financiamento e da necessidade de garantir a sustentabilidade dos processos de financiamento.

As duas instituições abordaram a possibilidade de financiamento de projectos conjuntos, além da organização e realização de eventos conjuntos.

Ainda, a nível dos encontros havidos, destacou-se também a necessidade de envolvimento de mais pesquisas de expressão portuguesa, assim como a necessidade de mobilização conjunta de recursos financeiros.

“Partilhamos as agências internacionais de financiamento uma vez que a FUNDECIT faz acreditação das instituições de investigação e o FNI garantiu a troca de experiência com a direção de ciência tecnologia e inovação que faz o licenciamento das instituições de investigação em Moçambique.

O FNI apreciou positivamente a iniciativa da FUNDECIT da busca de experiência nas instituições que já vem promovendo a investigação científica, inovação e transferência de tecnologia e considerou que a FUNDECIT está num bom caminho, uma vez que o Governo angolano dotou- o de fundos do Orçamento do Estado, diferente do financiamento aos projectos, assim como de autonomia financeira, logo na sua criação.

Por outro lado, a chefe do departamento de Avaliação de Projectos e das instituições de investigação científica e desenvolvimento, a angolana Irene Jamba Inakulo Moisés, fez avaliação positiva da visita feita ao FNI, bem como às instituições de investigação financiadas pelo FNI.

Salientar que o plano elaborado pelo FNI permitiu perceber que se tem conhecimento científico e também práticas operacionais.

“Tivemos acesso a documentação legislativa do FNI e orientações práticas e profissionais do funcionamento de cada sector, que nos vai permitir melhor implementar as nossas actividades uma vez que a FUNDECIT está numa fase inicial”, considerou.

Ajuntou ainda que, “tanto no FNI, como por onde passamos, notamos que a equipa está comprometida com o que faz e não está muito dependente do Orçamento do Estado”, constactou.

Assinalou o modelo que se utiliza para fazer o ciclo de financiamento, notabilizando a responsabilização que se dá aos beneficiários.

E, por último disse, que “levamos todas as recomendações porque ainda não financiamos nenhum projecto”, revelou.

Em termos de perspectiva, a dirigente angolana vincou que está previsto a assinatura de Memorando de Entendimento, em Dezembro próximo, entre as duas instituições, a moçambicana e a angolana.