Assinatura do Memorando de Entendimento entre o FNI e o ARPAC

140

O Fundo Nacional de Investigação (FNI) e Instituto de Investigação Sócio – Cultural (ARPAC), assinaram nas Instalações do FNI na província de Maputo, um memorando de entendimento cujo objectivo é promover a cooperação entre as partes no âmbito da ciência, tecnologia e inovação em Moçambique.

 A Directora do Fundo Nacional de Investigação Profa. Doutora. Vitória Langa de Jesus, disse que o FNI tem na promoção e apoio financeiro à pesquisa científica, inovação e transferência de tecnológica, considerados alicerces para o alcance do desenvolvimento multissectorial dos países e em particular Moçambique.

De referir que a assinatura deste memorando, coincide com o período em que o país e o mundo são assolados pela pandemia da Covid -19, dai que representa uma força para a promoção e realização de acções no domínio da investigação científica e inovações tecnológicas, com vista a criar soluções aos problemas que enfermam a saúde pública, e consequentemente o desenvolvimento sócio -cultural das comunidades.

Deste modo o FNI, deposita no ARPAC, a responsabilidade de identificar as acções concretas que possam dinamizar a investigação, inovação e transferência de tecnologias no sector sócio-cultural, que possam trazer resultados significativos na criação de novo conhecimento e no desenvolvimento de artes e cultura no seio das comunidades, incluindo o incentivo a mudanças de atitudes que chocam as medidas de prevenção da Covid-19 com o memorando de entendimento assinado pelas partes.

Ainda na sua intervenção a Profa. Doutora Vitória Langa de Jesus disse que durante os três anos de vigência deste instrumento, o Fundo Nacional de Investigação estará ansioso na participação activa dos investigadores do ARPAC nos anúncios e eventos organizados pelo FNI, a começar pelo 3º Seminário Internacional de Investigação Científica a decorrer nos dias 21,22 e 23 de Outubro próximo.

As duas Directoras exibindo as pastas após assinatura do Memorando

Por outro lado, a Directora do Instituto de Investigação Sócio-Cultural (ARPAC), Sónia Gomes, esclareceu, que o presente memorando de entendimento assinado pelas partes, é para promover a divulgação do conhecimento, inovação tecnológica, e a formação de desenvolvimento socioeconómico de Moçambique que constitui uma vantagem para os pesquisadores. De salientar, “que queremos transformar as nossas bibliotecas como centro de promoção de pesquisa científica, inovação e transferência de tecnologia e desenvolvimento de acções no domínio da ciência, tecnologia e inovação, contribuindo para a redução da pobreza, melhoria de qualidade de vida para o desenvolvimento sócio-económico de Moçambique”.

Foto de Família do corpo Directivo do FNI e do ARPAC